BANNER2

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Por "Um Barão"


Por um Barão

Por “Um Barão” apenas,
Não se compra nenhum sonho,
Mesmo que se  entre em fila;
Por “Um Barão” somente,
Nem se planta uma semente
Para se gerar a vida.

Assassinaram os cães
E “João” nem percebeu
Era quase fim de agosto
-Mãe! Que gosto!
-Apenas carne, filho meu!

Por “Um Barão quisera
Levar balas para ela
Nas sessões das matinês
Emoções no fim do dia
Um beijo na tarde fria
-Mãe! Que gosto!
-É agosto filho meu!

Por um barão a menos
Não te deixam mais viver
Os sintomas são os mesmos
Cresce a fila dos açougues
E o ” Ágio”  é o maior mal
A fome já se estampa
A paz não mais se levanta
-Cadê a mistura da “janta”?
Onde foi que não me lembro
Onde é que estamos Deus!
-É setembro filho meu!

Mas na vida tudo passa
Nada como um novo dia
Novo sol, nova pirraça
Novos  jogos de cintura
Até o “Barão” entrou nessa
Fez as malas bem depressa
Pois la vem o “ Juscelino”

Por “Um Juscelino” a menos...
-Desperta menino!

Autor
Carlos Marcos Faustino
Outubro de 1985 – mais  ou menos




Cruzeiro- A inflação já assombrava os brasileiros. A Nota de CR$ 1.000,00 estampava o rosto do  Barão do Rio Branco e começou a circular  em dezembro de  1978. Estava no governo o  General Ernesto Geisel.
Cruzeiro-O presidente Juscelino Kubitschek estampa a nota 
nota de Cr$ 100.000,00, que entrou em circulação em outubro de 1985. A Presidência teve uma grande mudança: José Sarney, primeiro civil a governar o País desde 1964, assumiu o cargo após a morte do presidente eleito Tancredo Neves.) CRUZADO - Em janeiro de 1986 o presidente Sarney lança o Plano Cruzado e seu famoso congelamento de preços. Juscelino é reabilitado. Um carimbo na velha nota de 100 mil cruzeiros marca o novo valor, Cz$ 100,00. Ela foi lançada em abril do mesmo ano)

Um comentário:

  1. Esta nos leva ao passado não muito distante que vivi no nosso Brasil, muito bela

    ResponderExcluir